Archive for outubro, 2010

Mudanças, mudanças, mudanças…

quinta-feira, outubro 28th, 2010

É inacreditável como as coisas que a gente quer e até o que a gente pensa sobre a vida mudam com o tempo. No meu caso, muito tempo… e estou em plena transformação de cabeça e de valores. Tudo que eu paro para questionar sobre o que ando fazendo da vida acabo descobrindo que mudou, inverteu, bagunçou… e acho que, na verdade, está se ajeitando… finalmente.

É como se tudo que eu sentia fora do lugar o tempo todo estivesse agora muito claro de onde deve estar… e isso é muito bom, traz uma paz e uma perspectiva muito feliz… mas é ruim, porque uma perspectiva não é o que acontece agora. E agora… é tudo muito diferente e muito fora do lugar.

Passo o dia escrevendo scripts de testes sobre uma ferramenta dinamarquesa de seguros… in English. Muito legal… isso é uma barreira vencida. Quando eu era “criança pequena” lá em Piraju, achava que essa história de falar inglês era lenda. E eu… tão longe do mundo, porque eu achava que deveria ser assim, não acreditava nem de longe nessa lenda.  Mais uma prova de que as coisas mudam… muito.

Então escrevo meus documentos e tento fazer o melhor que posso… porque ganho para isso e essa é minha profissão… que me trouxe até aqui, me deu tudo que eu tenho, e à qual eu sou muito grata. Mas hoje, right now, estou aqui só de corpo presente. Minha alma viaja o dia e o tempo todo, e eu só penso  em fazer tudo diferente. Mudar… isso é um tanto assustador, mas ao mesmo tempo me traz uma luz que eu nunca tinha visto. É como se eu estivesse começando tudo de novo, com uma vida pela frente.

Eu tenho uma vida pela frente. Alguns anos menor que aquela “vida pela frente” de quando saí da casa da minha mamy, e menor ainda que quando eu terminei a faculdade… mas me parece tão entusiasmante quanto… e talvez até mais, porque, por incrível que pareça para mim mesma, agora eu sei o que eu quero.

Um dia eu perguntei para a minha Tia Rita se ela achava que algum dia a minha “aborrecência” iria acabar… e eu já tinha uns 25 aninhos. Ela disse que sim, não sei se de verdade ou para me animar… mas eu não acreditei, e não me animei… porque faltava alguma coisa, que eu estou achando agora: eu mesma.

Então… escrevo meus documentos e analiso meus sistemas, mas a minha cabeça só pensa em rosas, pérolas, correntes, rendas, fitas, laços, cristais, coisas de moça… eu que já estou velhinha. E cada dia que passa, vejo chegar a hora de deixar de ser a “tiazinha do Mainframe”  analista de sistemas para ser a moça das coisas que me fazem feliz… e são muitas… graças a Deus.

Sou toda gratidão a Deus pela minha profissão e por tudo… tudo mesmo… que passei até hoje. Sou grata a Ele por esse terremoto que está acontecendo agora no meu coração. Por Deus ter sempre me dado tudo que eu queria e não queria mas precisava nessa minha vidinha, aprendi a contar com Ele para fazer tudo que eu quero… e que preciso.

 Então, estou indo…

Não sei quanto tempo vou levar, mas as moças podem esperar… acho que vai valer a pena.