Archive for abril, 2011

Despedida

terça-feira, abril 26th, 2011

Achei esse texto na minha agenda da Tribo… cada palavra, mudando alguns detalhes, poderiam ter sido escritas por mim. Então resolvi deixar o registro aqui… de mais uma despedida. Brisa, nessa história, é o nome do meu amor… não o que eu amo, mas o que eu sinto.

“Eu e Brisa dormíamos abraçadas todas as noites. Mesmo assim, ela fazia questão de manter a fama de má. – Nada de drama nem choro, heim, logo estaremos juntas na Itália.

Na madrugada da sua partida de Amsterdã, Brisa passou mal. – Não sei o que comi.

– Eu sei, minha querida, engolir despedida dá ânsia e dor de barriga.

Fui até a cozinha e preparei um chá de amor e carinho bem quentinho para ela. Sabia que aquele era seu jeito de dizer que estava sofrendo.

Fiquei na porta, olhando Brisa ir embora. Foi muito triste vê-la se afastando cada vez mais. Não tinha jeito de ela voltar, nenhum milagre aconteceria. Só consegui gritar “tchau” e acenar.

A cada despedida, morro inteira. Nunca mais sou a mesma. Minhas pétalas caem, fico murcha, despedaço. É tão grande o rasgo que se abre dentro de mim e dói tanto que, na hora, tenho certeza de que jamais vou me curar.

Mas com o tempo me reconstruo, vou nascendo de novo. No dia 1, passa um filme que eu adoro; o dia 3 amanhece ensolarado; no dia 6, dá praia. E aí, para minha surpresa, no dia 10, a dona da venda lembra o meu nome e, no dia 26, o mais bonito da rua sorri para mim. Até que, num belo dia 15, o rasgo acorda costurado. Cada história me alinhava numa cor diferente, vou me colorindo e a vida continua. ”

Elisa Kim

Feliz Páscoa!

sábado, abril 23rd, 2011

Uma amiga me escreveu  essa semana: “Aproveita que é Páscoa, tempo de renovação… e volte a ser feliz.”.

Eu tenho fé Nele e sei que o “perrengue” vai passar. ”E eu vou voltar a ser feliz, Josy”. Prometo.

Essa vida que é louca e surpreendente, e a minha Brida me olhando com olhos de “vem brincar comigo”, e a Páscoa, que vem com gosto de encontro comigo mesma, me fazem ter essa certeza..

E a certeza vem da consciência de que se não fosse para errar tanto, para aprender a acertar, eu não estaria aqui, nessa vida que é tão “worth”. E penso em Jesus, que há tanto tempo atrás sofreu a maior dor do mundo, para depois ressuscitar e nos perdoar pela crueldade, pelo egoísmo, pela descrença, pelo desamor, pelo abandono… e além de perdoar, acreditou  que merecemos aprender a viver com amor, com fé, com solidariedade, com bem. Só consigo agradecer por estar exatamente como e onde estou agora.

Eu agradeço por estar viva, e por essa oportunidade de aprender. Agradeço pelo amor que está no meu coração e por querer aprender a melhorar com meus erros. Eu agradeço por conseguir perdoar as pessoas que me machucaram mais fundo… e agradeço por conseguir me perdoar e acreditar que ainda “tenho conserto”.

Eu agradeço por estar nesse mundo,  e poder ver e sentir o sol. Por poder fazer as minhas “Coisas de Moça” que me dão uma perspectiva de “coisa boa”. Agradeço por querer ser alguém melhor, principalmente para mim mesma.

Eu agradeço por poder pegar o telefone e ligar para a minha irmã… que é o meu porto seguro.

A Fernanda  é a pessoa que mais amo e que confio nesse mundo… apesar de sermos tão diferentes. E somos… mas isso não tem a menor importância. Brigamos, fazemos as pazes e o amor que sinto por ela não sofre nenhum arranhão. Acho até que sem ela eu não teria sobrevivido até aqui… é do amor dela que vem muito da minha fé e a certeza de que não estou sozinha. Deus não deixa ninguém desamparado… e além dos anjos que eu não vejo, tenho uma anja chamada Fernanda, que é “mamps” tudo.

E isso sem contar os meus amigos, que eu não preciso dizer os nomes… eles sabem o quanto significam “nessa história”. Também graças a eles eu sei o quanto significa essa vida.

A minha vela para Jesus e pela Páscoa está acesa. E eu quero de coração que seja o que for que eu tenha que passar, eu consiga enfrentar com a certeza de que vou crescer. Renovação.

Eu quero que essa Páscoa seja ressurreição de verdade… para quem souber entender:

O bacalhau da sexta-feira santa, e o muito chocolate do domingo, e os dias de descanso que ganhamos de presente, não pouco merecidos, o sol, a praia, o passeio, até o churrasco com muitas cervejas, e o Sr. Coelho, que quase esqueci…  não podem ser mais importantes que o verdadeiro sentido da Páscoa.

“Que a gente possa enxergar no meio de tudo isso o amor de Jesus, e tomá-lo como exemplo. Que a gente possa entender a Páscoa como a ressurreição da vida pelo bem, principalmente dentro do nosso coração. Que a gente consiga deixar de lado o querer para poder acreditar que Ele sabe o que deve ser feito de cada pedacinho desse mundo e cada um de nós. Que a gente consiga enxergar no outro um pouco do amor que Jesus quer nos ensinar, mesmo tendo que aceitar nele as imperfeições que muitas vezes nos fazem desviar o nosso caminho do que Ele planejou.

E que a gente saiba agradecer, por tudo que está ao nosso redor, porque é presente Dele. Que a gente consiga ter a certeza que Ele está ao nosso lado seja para  o que for, e que o amor e a fé nos dão a força na medida necessária para ressuscitar… e começar de novo.”